15 de dez de 2010

Entrevista - Severino Sena

Entrevista - Ogã Severino Sena 
O Espaço do Ogã tem por objetivo, divulgar e expor os trabalhos realizados por pessoas que colaboram com o crescimento da religião de Umbanda. Trabalhadores incansáveis que sacrificam seu tempo de descanso em nome do ensino e caridade.

Estreando nesse blog a primeira entrevista com o Ogã Severino Sena.

Atualmente, ministra aulas de curimba em seus núcleos e comanda a curimba do terreiro de Pai Rubens Saraceni no Colégio de Umbanda Pai Benedito de Aruanda.



Espaço do Ogã:

Antigamente o estudo da religião era praticado individualmente pelo dirigente? Os médiuns eram aos poucos ensinados durante os ritos de suas casas?

Ogã Severino Sena:

Antigamente poucos dirigentes tinha a preocupação de passar informações aos seus médiuns, pois diziam que o que era preciso os guias transmitiam, e também poucos dirigentes gostavam de leitura e também não incentivavam, pois só incentiva algo se gosta de algo. E muitos médiuns ficavam sem informação, freqüentava o terreiro durante anos, recebia seus guias e nem sabia o porquê de recebê-los, de onde vinham o que faziam como trabalhavam, não procuravam saber o significado dos pontos riscados, qual a sintonia entre os guias que ele recebia e os seus pais, na verdade não sabendo das coisas da religião, não ajudavam seus guias, porque tem coisas que o guia não faz porque o médium bloqueia.


Espaço do Ogã:

Como foi a sua formação?

Ogã Severino Sena:

A minha formação continua até hoje e continuará enquanto eu viver, pois não me considero que sei tudo, sou iniciado em ordens de aperfeiçoamentos, na magia e na umbanda, minha formação na Umbanda foi direto na curimba, depois de adulto não girei mais para desenvolver, isto me era feito quando criança, os guias dizem que sou médium girante, quem sabe um dia eu desenvolva este lá, ( risos ), só sei que estou a 25 anos neste departamento.


Espaço do Ogã:

Eram ofertados tantos cursos de formação, seja de sacerdote, curimba, ervas e etc. Gostaria de citar algum e onde?

Ogã Severino Sena:

Na época de minha formação não tinham tantos cursos como hoje, curso de curimba então, nem pensar, pois diziam que quem sabe já nasce pronto, e se a pessoa não é avisada que é do ramo, (risos). De dez anos pra cá os cursos se multiplicaram, pois começou a surgir uma nova mentalidade na religião, e de que o dirigente precisa saber para ensinar e não só receber seus guias, e tem também os dirigentes que sabem muito, mas não conseguem transmitir seus conhecimentos, por falta de oportunidade ou não tem uma boa oratória, tem diversos aspectos que influenciam as explicações. Hoje felizmente, temos todo tipo de curso é até bom que seja assim, pois aí atende diversas correntes de pensamentos dentro da mesma religião, isto para teologia, curimba sacerdócio ervas, benzimento, etc.


Espaço do Ogã:

Qual a importância das associações e federações que representam os terreiros e suas finalidades?

Ogã Severino Sena:

Numa sociedade como a atual as associações e federações são importantes, pois o pequeno nunca será ouvido em nada, precisa se unir mostrar tamanho, força se quiser que alguém faça algo, seja político ou religioso, socialmente falando, se uma associação reúne seu povo, dá-lhes instruções de como organizar seu terreiro administrativamente, seus direitos e deveres, fica mais fácil de levar a fica, pode ter também cursos aos seus associados, referente curimba, pontos riscados, velas, ervas, pemba, rituais, casamento, batismo, fúnebre, realmente dar condições aos seus associados de saber levar a vida religiosa dentro das leis espirituais e dos homens. USANDO A FRASE DO CABOCLO SETE ENCRUZILHADAS, “COM OS MAIS VELHOS APRENDEREMOS AOS MAIS NOVOS ENSINAREMOS E A NINGUÉM ABANDONAREMOS, sei que ele usou outras palavras, mas este é o sentido

 


Espaço do Ogã:

Você enfrentou criticas por ministrar aulas de curimba?

Ogã Severino Sena:

Enfrentei e enfrento até hoje, ouço comentários todas as aulas que no terreiro o pessoal falou que é besteira etc., porque tem gente que sabe, mas não quer multiplicar porque acha que o conhecimento é só dele, aí quando morre, ninguém repercute seus ensinamentos. Sei que tem diversos métodos de ensino diferentes dos que pratico em meus cursos e até aprovo, pois toda unanimidade é burra, não me preocupo em que meus alunos no futuro serão melhores que eu, pelo contrário, trabalho pra isto, só assim nossa religião cresce e se fundamentalista.


Espaço do Ogã:

O que é ensinado no Núcleo de Curimba Tambor de Orixás?

Ogã Severino Sena:

Fica difícil falar, porque é um curso direcionado ás pessoas que querem aprender, sobre a religião, lá vamos tocar, cantar, e falar sobre a teologia da nossa religião, vamos discutir situações de terreiros, as diversas situações que passam os médiuns e todos.
Turma de formandos de 2009 - CEIE - Penha - São Paulo - SP


Formandos de 2009


Espaço do Ogã:

Quando e como foi idealizada a criação do Núcleo?

Ogã Severino Sena:

Antes de montar o Núcleo eu já dava aula junto com meu Pai de Santo, Pai José Valdivino de Alafim, más era num só lugar e não conseguíamos atingir as demais regiões de São Paulo, pois o povo pedia o curso em outros locais, foi quando a espiritualidade, começou a cobrar esta atenção e quando a quer ela age de diversas formas para conseguir e foi aí que surgiu o núcleo.

Espaço do Ogã:

Existe alguma dificuldade, preocupação ou receio de um novo aluno quando procura suas aulas, quando ele trás experiência de toque do seu terreiro?

Ogã Severino Sena:

PREOCUPAÇÃO NENHUMA, pois vamos passar o que é matéria do Núcleo, mas tem pessoas que tem vícios e são mais difíceis de consertar, mas é uma aula a mais pra nós também, (risos).


Espaço do Ogã:

O CD Cantando pra Yabás, Oyá, Obá e Egunitá, veio antes da criação do Núcleo? Fale-nos um pouco desse belo CD?

Ogã Severino Sena:

Este CD surgiu no curso de sacerdócio do Pai Rubens, porque além dos Orixás e Guias conhecidos ele também procura passar informações sobre estas mães, que são forças divinas, são poder de Deus nosso pai e criador e que poucos sabem, e durante o curso um dos alunos e amigo o Roberto recebeu estes pontos e outros também e foi pedido para que fosse gravado e eu tive a honra de ser o escolhido para esta gravação, que aproveito a oportunidade para agradecer o irmão Roberto e ao Pai Rubens, por esta chance.


Espaço do Ogã:

Fale-nos sobre o 1º Festival Tambor de Orixás, organização, participantes, públicos, resultados e objetivos desses encontros?

Ogã Severino Sena:
O primeiro festival, surgiu porque tinha nove anos que nada acontecia em São Paulo, neste sentido, então sentei com uns amigos e dirigentes e decidimos promover este encontro, fizemos o chamado e corremos com a organização, do evento, local etc., faltando 15 dias para o evento nos foi informado que não poderia mais ser no local combinado, pois os mais velhos do lugar não queriam um evento de Umbanda na casa deles, e graças ao empenho da Prefeitura de São Paulo, a sub-prefeitura da Casa Verde, , conseguiu outro local e a festa foi muito boa, porque a partir daí, a idéia vingou e hoje temos diversos festivais por ano, fico muito feliz por ter dado o ponta pé inicial









Espaço do Ogã:

A B C do Ogã sofreu uma transformação de folhas individuais distribuídas a cada aula, apostila e por fim o livro? Como você atingiu esse resultado tão expressivo?

Ogã Severino Sena:

Também as coisas vão tomando vulto e nós nem nos apercebemos delas, quando veio a cobrança da espiritualidade e da forma que veio, não tínhamos nada montado então a cada semana era montado uma pagina até que toda a apostila estivesse pronta com as informações de pontos, toques informações variadas que achávamos interessante ter em apostila, e assim foi até termos bastante informação o suficiente pra montar a apostila, mas aí começamos a altera-la, para melhorar algumas coisas, até que numa conversa com o Pai Rubens e um amigo e padrinho Wagner Veneziane Costa, foi dito que nossa religião estava precisando daquele tipo de livro, com as informações que tinham seria super interessante transforma-la em livro, mas mesmo depois desta conversa ainda demorou muito tempo pra se tornar a realidade.


Espaço do Ogã:

Gostaria de dividir conosco alguma lembrança especial de sua caminhada a frente desses trabalhos?

Ogã Severino Sena:

Lembrar de um é difícil, pois pra mim a cada trabalho, cada aula, cada festival, evento, festa é um momento único, vibro por cada um e me realizo em cada um, quero é agradecer a espiritualidade, por me dar esta chance de multiplicar o conhecimento que adquiri com todos os que me procuram. Grande abraço a todos, e muito obrigado a você Hamilton também pela chance que me deu de participar da sua caminhada, que tenho a certeza, será de alegrias.







Severino Sena – Ogã e Presidente do Núcleo de Curimba Tambor de Orixá ministra seus cursos;



Praça Joaquim Alves, n.º 01 - Penha - São Paulo - SP - segunda-feira às 19:20 - CEIE

Estação Armênia do Metrô, Avenida Tiradentes, 1290 s/loja, no Instituto 7 Porteiras do Brasil, na sexta a noite e sábado cedo.

Contato (011) 3984-181 e 9622-7909




Um comentário:

cida sena disse...

Parabéns à vcs.!!!
Adorei a entrevista, o entrevistado, e o entrevistador...agradeço à todos vocês e a família Tambor de Orixá!!!

Arquivo do Espaço

O que tem no Espaço!

Ponto de Caboclo Flecheiro

Ponto de Caboclo Flecheiro

Ponto de Cabocla Jurema

Ponto de Cabocla Jurema