11 de out de 2011

Orar, vigiar é vencer!

Orar, vigiar é vencer!




Consagrar nossos orixás e guias espirituais nos terreiros seja em festas, dias normais de trabalhos, visto que dia normal é raro, pois nada se repete e sempre se renova. Montar as oferendas, acender as velas, firmar a casa dos Exus, defumação, toalha, pemba, atabaque e etc. Tudo disposto para receber o médium e a assistência. As energias são ativadas e percebesse a sensação de cada item preparado. Um misto grandioso que eleva o necessitado seja qual for sua carência. Antes de começar as sessões de passes o corpo mediúnico, ogãs e o cambones, estão firmando através de orações e cantigas mais uma dose cavalar de energia que é acrescentada e misturada às outras seguranças e firmezas espalhadas estrategicamente no terreiro para que circunde e abrace a todos no ambiente.


Geralmente o dirigente no uso da palavra abre os trabalhos com uma mensagem de paz e uma hora depois desse cerimonial você esta diante do guia e esquecido a que veio esta noite do terreiro. O guia estala os dedos passa uma essência em suas mãos e pergunta carinhosamente qual o seu problema. Nada acontece e mal se consegue balbuciar duas ou três palavras. Não somos impedidos de falar o que pensamos, pois estamos em sigilo com o espírito de luz, mas são tantas as bênçãos recebidas antes, durante e nos términos das sessões que aos poucos aprendemos há manifestar a vontade de orar e vigiar.


A Umbanda, socorre, ampara e prepara o ser para um caminho de prosperidade usando elementos naturais no nosso dia-dia. Um principal artifício é a oração que emana do seu coração e transcende o pensamento. Dentro da gira ela expande todas as outras energias que serão dividas a todos os presentes e chegarão onde o seu pensamento estiver e a quem quiser.


Entender os rituais que ocorrem durantes as giras requer tempo e paciência do consulente. Sabemos que sua aflição e problemas são grandes e urgentes. Mas a necessidade de ativar todas essas bases é fundamental para bom andamento dos trabalhos e a garantia que o visitante saíra sereno ao regresso do lar.


Ficamos balançando os pés nas cadeiras, impacientes aguardamos a nossa senha para o atendimento e sem perceber perdemos muito porque não aproveitamos todas as opções e dispostas nos terreiros. Mas cada problema tem o seu peso e a cada um é dado o merecimento e a oportunidades de resolvê-los. Mas se você calmamente perceber esses sinais verá também que os trabalhadores usam a roupa branca que representa paz, simplicidade e qualquer sensação que reproduza segurança e bem estar, pois dentro dos terreiros estaremos sempre de braços abertos para receber e fazer o bem sem saber a quem.

Sejam sempre bem vindos, na Fé de Olorum, Oxalá e todos os orixás, guias e mentores espirituais no panteão espiritual que é a nossa Aruanda.

 * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Sejam bem vindos, oh meus irmãos
Venham com Deus e com toda proteção
A casa é sua presença é boa
Filhos de fé, Oxalá que lhe abençoa.

 * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E quango Ogum foi para a guerra,
Ele mandou, orar, orar.
E quando Ogum venceu a guerra,

Ele mandou orar, orar.
Orar, orar.
Orar, orar é vencer
Orar, orar.
Orar, orar é vencer.


* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Nenhum comentário:

Arquivo do Espaço

O que tem no Espaço!

Ponto de Caboclo Flecheiro

Ponto de Caboclo Flecheiro

Ponto de Cabocla Jurema

Ponto de Cabocla Jurema